Perfil


Sou Maria Eduarda, a menina mais amada do mundo, Deus foi muito bom comigo por colocar em meu caminho pais maravilhosos que me amam. Aqui mamãe irá compartinhar com todos minha história e nossas vitórias em relação a cardiopatia que existe em meu coração

Mamãe



Sou esposa, profissional e agora mãe da gatinha mais linda do mundo. Agradeço todos os dias a Deus por ele ter nos confiado esta jóia rara em nossas vidas.

Papai



Sou, homem feliz e realizado

Nossa história



Somos Pais Especiais, Deus confiou a nós a missão de criar uma linda menina de coração especial, nós temos uma filha linda que é cardiopata, o nome dela é Maria Eduarda, mas todos a conhecem por Dudinha, quando Deus me disse que ela viria ao mundo, tive muito medo, principalmente quando ele informou que ela seria uma criança de coração diferente. Em seu coraçaozinho além de muito amor e alegria teria algo diferente que eu não conseguia entender, porém entre muitos pais da terra, Deus havia escolhido a nós para acolhe-la e lhe dar muito carinho, pais especiais!

O nome é complicado, talvez seja algo somente para pessoas preparadas entender, mesmo assim sempre fizemos questão de saber o que tinha de diferente em seu coraçãozinho, em uma das conversas com médicos, ficamos sabendo que ela seria cardiopata, cardio oque? Isto mesmo seu coração não foi totalmente formado, sendo assim ela seria portadora de uma cardiopatia chamada (DVSVD) - Dupla Via de Saída do Ventrículo Direito – CIV (Comunicação Interventricular) e (TGV) Transposição dos Grandes Vasos, nossa... quanta coisa! E agora?

Não posso negar que questionei a Deus, mas sei que Deus nunca nos dá um peso maior que podemos carregar, e desde o primeiro momento de desespero, coloquei minha filha no colo de Jesus e Maria e a partir deste momento não senti medo algum, muito pelo contrário cada dia que passava eu sentia mais força para vencer. Jamais pedi para que Deus tirasse esta prova de nós e sim que nos desse forças para vencé-la, Nós somos mais fortes que os problemas que aparecem, precisamos nos convencer disto!

Minha guerreira, passou por um cateterismo com 3 meses de vida e por uma cirurgia de bandagem pulmonar com 4 meses, outro cateterismo com 1 ano e 5 meses e outra cirurgia bem complexa com 1 ano e 7 meses, superou tudo, lembro que a cada situação desta, falava para ela que a nossa parte estávamos fazendo, que era rezar, e que ela teria que fazer a parte dela que seria vontade de viver, nunca chorei perto dela, ao seu lado tentava ser forte, mesmo a vendo cheia de fios e aparelhos.

Nossa força, somada com a dela e multiplicada pela de Deus fez com que ganhássemos esta batalha, sabemos que a guerra ainda não acabou, mas quem tem Deus tem tudo, estaremos sempre ao lado dela e temos certeza que seremos vitoriosos.
Amigos
Contador

Você já passou aqui: vezes
Total: visitas

Passou
Créditos

patymonteiro20@hotmail.com

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com
Quinta-feira , 29 de Janeiro de 2009
MARCA DE GUERREIRA

 

 

Nossa como o tempo passa, achava que viria aqui logo, mas olha só, passou e passou, Duda está em casa desde 16/01, nem acreditei quando chegamos em casa, está linda, fofa, gostosa, maravilhosa, tudo de bom! FILHA MAMÃE AMA VOCÊ MAIS DO QUE TUDO NESTE MUNDO!!!!

Bom voltando ao post anterior, estava falando do dia anterior a cirurgia, não foi nada fácil, não dormi nada aquele dia, pois sabia que em menos de 8 horas minha filha estaria sendo operada...Bom o jejum começou as duas da manhã, porém a última mamadeira foi dado as 21:00, até tentei dar a meia noite mas ela não quis.

Seis horas da manhã a enfermeira entra, para colocar o supositório para lavagem, logo em seguida o banho com aquele produto especial que eu não tenho idéia do nome. As oito ela dormiu novamente, não queria largar minha filha por nada neste mundo, descemos  até o primeiro andar e lá permanecemos até umas oito e meia mais ou menos foi quando a anestesista veio falar conosco, dos riscos, do tempo, de tudo...não escutava mais nada, somente chorava. Entreguei minha filha na hora ela acordou e começou a chorar, e eu a gritar por dentro, era um nó na garganta que não passava por nada neste mundo, nada que as pessoas me falavam importava, no momento eu queria apenas a minha filha, queria que este momento acabasse logo, queria dormir e acordar apenas quando tudo isto tivesse acabado, mas como fazer isto???  Enfim foram cinco horas de angustias, incertezas, até que a médica dela veio falar conosco informando que a cirurgia tinha acabado e neste momento ela passou por nós...que cena horrível, não desejo isto para mãe  nehuma neste mundo, minha filha que a menos de 6 horas estava no meu colo estava lá, entubada, sedada, tomando sangue com acessos, drenos e muitos fios...e eu lá me sentindo uma inútil, o que fazer? Gritar para o mundo??? O cirurgião veio falar conosco, explicou o procedimentos e pronto, agora era com o organismo dela, vamos aguardar as primeiras 48 horas mais críticas e ver a reação.

Conseguimos vê-la ainda na visita das 15:00 horas, mas não foi nada agradável, foi triste, frio, escuro...nada para mim prestava, nada, não comia, não bebia, não dormia, fui para casa com as roupinhas dela, cheguei no quartinho cheio de vida, todo cor de rosa e não conseguia entender por que não poderia ser eu no lugar dela, sou tão mais forte, e depois vivi quase 30 anos... Chorei como nunca...

Na visita das 20:30 foi um pouco mais tranqüila, ela estava extubada e não estava mais tendo sangramentos, porém estava sedada e com muitas drogas, mas pedi muito a Deus para me dar calma e tranqüilidade, tinha que agüentar este momento e Deus me ajudou muito. Acredito muito que sozinhos não iríamos conseguir, Deus esteve conosco este tempo todo.

OBRIGADA SENHOR PELA SAUDE DA MINHA FILHA.

A Duda ficou nove dias na UTI, sempre com melhoras, teve apenas uma intercorrencia que foi um derrame pleural que adiou sua alta para o quarto, mas soube direitinho levar, quando disse que eu era mais forte que ela estava enganada, ela é muito mais forte que eu e provou isto direitinho.

Fomos para o quarto com uma paralisia no diafragma, mas nada séria e com uma pequena infecção, 6 dias depois tivemos alta para casa.

Beijos e até mais



:: Postado por Mamãe da Duda ás 14h11 ::
[ ]